VIRTUALIZAÇÃO DE SERVIDORES
Virtualização de Servidores se refere à captação de recursos computacionais, tais como o processo de funcionamento de dois ou mais computadores lógicos em um conjunto de sistemas de hardware físico.

O conceito surgiu com os sistemas operacionais de mainframe IBM da década de 1960, mas foi comercializado para x86 compatível com computadores apenas na década de 1990.

Com a virtualização, um administrador de sistema poderá combinar vários sistemas físicos em máquinas virtuais em um único e poderoso sistema, assim, tirar o hardware original e reduzindo energia e refrigeração de consumo.

 

Vantagens e Desvantagens.

 

Existem diversas vantagens na virtualização, a seguir serão citadas as principais

 

  • Segurança: Usando máquinas virtuais, pode ser definido qual é o melhor ambiente para executar cada serviço, com diferentes requerimentos de segurança, ferramentas diferentes e o sistema operacional mais adequado para cada serviço. Além disso, cada máquina virtual é isolada das demais. Usando uma máquina virtual para cada serviço, a vulnerabilidade de um serviço não prejudica os demais, por outro lado, se o serviço de virtualização não for muito bem planejado, instalado e configurado de forma correta, as máquinas virtuais podem se tornar menos seguras que as máquinas físicas justamente por causa do VMM [2]. Este ponto é interessante, pois se o sistema operacional hospedeiro tiver alguma vulnerabilidade, todas as máquinas virtuais que estão hospedadas nessa máquina física estão vulneráveis, já que o VMM é uma camada de software, portanto, como qualquer software, está sujeito a vulnerabilidades.
  • Confiança e disponibilidade: A falha de um software não prejudica os demais serviços.
  • Custo: A redução de custos é possível de ser alcançada com a consolidação de pequenos servidores em outros mais poderosos. Essa redução pode variar de 29% a 64%
  • Adaptação às diferentes cargas de trabalho: Variações na carga de trabalho podem ser tratadas facilmente. Ferramentas autônomas podem realocar recursos de uma máquina virtual para a outra.
  • Balanceamento de carga: Toda a máquina virtual está encapsulada no VMM. Sendo assim é fácil trocar a máquina virtual de plataforma, a fim de aumentar o seu desempenho.
  • Suporte a aplicações legadas: Quando uma empresa decide migrar para um novo Sistema Operacional, é possível manter o sistema operacional antigo sendo executado em uma máquina virtual, o que reduz os custos com a migração. Vale ainda lembrar que a virtualização pode ser útil para aplicações que são executadas em hardware legado, que está sujeito a falhas e tem altos custos de manutenção. Com a virtualização desse hardware, é possível executar essas aplicações em hardwares mais novos, com custo de manutenção mais baixo e maior confiabilidade.

 

Por outro lado, existem as desvantagens da virtualização, sendo as principais

 

  • Gerenciamento: Os ambientes virtuais necessitam ser instanciados, monitorados, configurados e salvos. Existem produtos que fornecem essas soluções, mas esse é o campo no qual estão os maiores investimentos na área de virtualização, justamente por se tratar de um dos maiores contratempos na implementação da virtualização. Vale lembrar que o VMWare é a plataforma mais flexível e fácil de usar, mas ainda apresenta falhas que comprometem a segurança, assim como as demais plataformas.
  • Desempenho: Atualmente, não existem métodos consolidados para medir o desempenho de ambientes virtualizados. No entanto, a introdução de uma camada extra de software entre o sistema operacional e o hardware, o VMM ou hypervisor, gera um custo de processamento superior ao que se teria sem a virtualização. Outro ponto importante de ressaltar é que não se sabe exatamente quantas máquinas virtuais podem ser executadas por processador, sem que haja o prejuízo da qualidade de serviço.

Fonte: Zion Technologies – TI VERDE